February 02, 2011

Brazilian invited to the Oscars turned down by U.S. | Brasileiro convidado pro Oscar é vetado pelos EUA

On the film, Tião breaks down in tears when this photo, with his pose
in a discarded bathtub, fetches US$ 45,000 on an auction in London

Brazilian press announces today: "Garbage worker starring Brazilian documentary nominated for 2011 Academy Awards has visa turned down to go to the Oscar ceremony".

Sebastiao Carlos dos Santos (aka Tião) and a group of other workers at a huge, ugly Rio de Janeiro landfill are muses for artist Vik Muniz in the Oscar-nominated "Lixo Extraordinário" (Waste Land, winner of the World Cinema Audience Award Documentary on Sundance 2010 and on Berlinale).

Using blown-up photographs of themselves and the very garbage they pick through all day looking for recyclables, Tião and his fellow workers help Muniz create stunning pieces that are snapped up for thousands of dollars by international collectors.

Now Tião faces a formidable barrier to his Hollywood dream -- U.S. immigration bureaucracy. His application for a visitor's visa to the United States had been turned down, but he's still hopeful it would be approved in time for the glittering awards ceremony later this month.

Read FULL ARTICLE here.



Um catador de lixo brasileiro pode dividir o palco do Oscar 2011 com gente como Brad Pitt e Johnny Depp no final de fevereiro, depois de estrelar um documentário sobre o poder transformador da arte. Em Lixo Extraordinário (vencedor do World Cinema Audience Award Documentary em Sundance 2010 e no Berlinale), indicado ao Oscar de melhor documentário, Sebastião Carlos dos Santos, conhecido como Tião, e um grupo de outros trabalhadores num aterro sanitário do Rio de Janeiro tornam-se fontes de inspiração do artista plástico brasileiro Vik Muniz, que lança luz sobre uma atividade que a sociedade preferiria ignorar.

Usando fotos ampliadas deles mesmos e do próprio lixo que vasculham todos os dias em busca de objetos recicláveis, Tião e seus colegas ajudam Muniz a criar obras de arte que são compradas por colecionadores internacionais por milhares de dólares.

Tião, no entanto, enfrenta uma barreira grande para seu sonho de chegar a Hollywood: a burocracia da imigração norte-americana. Radicado em Nova York, Vik Muniz, que também vem de família pobre, disse à Reuters que o pedido de visto de visitante aos EUA feito por Tião foi recusado, mas que ele ainda tem esperanças de que seja aprovado em tempo para a cerimônia de premiação que acontecerá no final de fevereiro. "Estamos pensando em ir com Tião", disse Muniz à Reuters. "Ele é uma pessoa que é fundamental neste filme. Deveria realmente ser ele a receber o Oscar."

No filme, Tião acaba viajando com Muniz para uma importante casa de leilões em Londres e chora quando uma foto, baseada em sua pose numa banheira encontrada no aterro, é arrematada por 28 mil libras (45 mil dólares).

Leia mais aqui (IG São Paulo com Reuters).

No comments:

Post a Comment

Post a Comment