December 19, 2012

VIDEO: Do you dare to daydream?

The only way into gettting to your magic zone is leaving your comfort zone. This video has the best explanation I've ever seen of that process -- and in just 7 minutes. It's the story of my life! LOL

December 18, 2012

'The Impossible': A film about the transience of life | 'O Impossível': um filme sobre a transitoriedade da vida

THE IMPOSSIBLE is a beautiful movie that reminds us:

1) that 99.99% of the material things with which we occupy ourselves in our everyday are absolutely irrelevant,

2) the richness of life lies in brief and simple moments which we often overlook,

3) how overwhelmingly transitory life is,

4) that Universal Intelligence, God, whatever you call it, exists (because a family's true story like this cannot be attributed to pure chance).

So IT'S A MUST SEE. Beware though, I don't recall crying as much at a movie like at this one. This is a film to see at home with a box of tissues on your side. Definitely not a film for the weak. If it's any consolation, the end is happy for the leading family.

NOTE FOR FILMMAKERS: This is a movie is a SPANISH production where special effects serve a phenomenal story, not a movie that offers solely phenomenal special FX.

O IMPOSSÍVEL é um filme belíssimo que nos lembra:

1) que 99,99% das coisas materiais com os quais nos ocupamos em nosso cotidiano são absolutamente irrelevantes,

2) que a riqueza da vida está em momentos breves e simples que, muitas vezes negligenciamos,

3) o quão avassaladoramente transitória é a vida,

4) que Inteligência Universal, Deus, como quer q vc chame, existe (porque a história real dessa família não pode ser atribuída a puro acaso).

Então, é um filme IMPERDÍVEL. Aviso, porém, que não me lembro de chorar tanto em um filme como neste. Este é um filme pra ver em casa com uma caixa de lenços ao seu lado. Definitivamente não é um filme para os fracos. Se serve de consolo, o final é feliz para a família principal.

NOTA PARA CINEASTAS: Este filme é uma produção ESPANHOLA na qual efeitos especiais estão a serviço de uma estória fenomenal, não um filme que oferece tão somente efeitos especiais fenomenais.

November 24, 2012

Actor, are you ready for success? | Ator, você está preparado para o sucesso?

A lot of Brazilian aspiring actors ask me if it's easy to make it in Hollywood. Seriously? I'll not even bother to answer that. Use your brain a little bit and the answer will show up, ok? We're talking about the world epicenter of entertainment industry, pal.

What I'd like to address here is a very interesting list published by British newspaper The Telegraph: great film roles rejected by star actors. Why did they turn them down? I believe they (or their agents) couldn't see the greatness of a film by reading its script or listening to a pitching.

For instance, Michelle Pfeiffer thought Silence of The Lambs was too violent and the role of FBI agent Clarice Sterling went to Jody Foster. And did you know Bette Davis passed up on playing Scarlett O'Hara?

Do you think they made a mistake you'd never do? They are no exception in this industry. This happens a lot. Usually, people are not able to 'see' the film as the writer/director sees it and end up underestimating the project. But, with luck, the director will find a perfect actor for the part.

"Perfect" means an actor with the right look for the role, a professional attitude (no divas, please!) and a good understanding of character and story, plus a large dose of surrender, trusting the director and let him/her guide you through the story. It is a relationship of trust and partnership, which presupposes mutual humility and generosity. The magic happens on the silver screen when the director finds that perfect actor to bring the character to life.

Actor, remember that if you happen to refuse a great opportunity certainly will not be the end of the world. Everyone screws up at some point in life, right? The stars below had very successful careers despite having refused iconic film roles.

Lord of the Rings script wasn't good enough

Sean Connery reportedly cost himself £ 283 million when he turned down the chance to play Gandalf in the Lord of the Rings trilogy. The former James Bond actor was offered £19m to play the wizard in the fantasy films directed by Peter Jackson and Warner Bros also offered him 15 per cent of the franchise's box office takings. Connery allegedly turned down the role because of his concerns over the script and it eventually fell to Sir Ian McKellen.

Matrix was too complicated

Will Smith turned down the role of Neo in the Matrix films. He said later: "The Matrix is a difficult concept to pitch. In the pitch, I just didn’t see it. I watched Keanu Reeve’s performance – and very rarely do I say this – but I would have messed it up. I would have absolutely messed up The Matrix. At that point I wasn’t smart enough as an actor to let the movie be. Whereas Keanu was smart enough to just let it be. Let the movie and the director tell the story, and don’t try and perform every moment.”

One Flew Over the Cuckoo's Nest wasn't visual enough

Asked once why he rejected the role of Randle Patrick "Mac" McMurphy in the 1975 film adaptation of Ken Kesey's novel One Flew Over the Cuckoo's Nest, James Caan had the honesty to say: "At the time, I thought - because I'm a genius - it wasn't visual enough. It took place in these four walls. I didn't know that [director] Miloš Forman was as good as he was. It's my opinion that I'm stuck with, unfortunately. I've made some bad choices." Jack Nicholson took the role and went on to win the Oscar for Best Actor, and the film became one of only three in movie history to win all of the "big five" Academy Awards.

Pretty Woman script was just 'ok' 

Pretty Woman was the film that 'made' Julia Roberts but the role of high-class call girl Vivian Ward in the 1990 movie with Richard Gere was first offered to Molly Ringwald, the star of The Breakfast Club and Pretty in Pink. She later said: "I think I saw an early draft and it was called '$3,000'. I don’t specifically remember turning it down. The script was okay but I gotta say, Julia Roberts is what makes that movie. It was her part. Every actor hopes for a part that lets them shine like that."

Forrest Gump? No, thanks.

John Travolta admitted passing on Forrest Gump was a mistake. The lead role in the 1994 comedy went to Tom Hanks, who won Best Actor at the Oscars, one of six the film won including Best Picture.

Refusal to friend offer to play James Bond

English-born actor Cary Grant (above left) was urged to take the role of James Bond (007) by his close friend Albert "Cubby" Broccoli. Grant (who became a US citizen in 1942) had been best man at the Bond producer's wedding. Sean Connery took his place as the first Hollywood Bond. Picture: Rex Features

I'd rather produce, star and direct my own movie

Kevin Costner was offered the part of the main character Andy Dufresne in the Shawshank Redemption. He wanted to work on Waterworld - a hugely expensive movie, and a critical flop - and Costner has since said that he strongly regrets letting Tim Robbins take the role.

Blame it on the agent

Burt Reynolds once admitted that his biggest regret was passing up the role of Han Solo in 1977 film Star Wars. The role went to Harrison Ford, a struggling actor who was then working as a carpenter. Reynolds once said: "I think that has to be the biggest mistake of my career. I blame the agent. It was not all down to me." Picture: AP/Lucas Films

TV network didn't let him be Indiana Jones

Harrison Ford was not the first actor that Steven Spielberg and George Lucas pursued for the role of Indiana Jones in Raiders of the Lost Ark. Magnum P.I. actor Tom Selleck was offered the role first but had to decline after his TV network exercised its option and he wasn't able to get a release to do the movie.

SOURCE: The Telegraph.

Ator, você está preparado para o sucesso?

Vários brasileiros aspirantes a atores me perguntam se é fácil fazer sucesso em Hollywood. Sério? Eu não vou nem me dar ao trabalho de responder isso. É só usar o cérebro um pouquinho que a resposta aparece, tá? Nós estamos falando sobre o epicentro mundial da indústria do entretenimento, meu. rsrsrs Hello?

Mas o jornal britânico The Telegraph publicou uma lista muito interessante sobre a qual queria falar aqui: grandes papéis no cinema rejeitados por atores famosos. Por que eles recusaram? Simplesmente porque eles (ou seus agentes) não conseguiram ver a grandeza do filme ao ler o script ou ouvir um pitching.

Por exemplo, Michelle Pfeiffer achou O Silêncio dos Inocentes muito violento e o papel da agente do FBI Clarice Sterling foi pra Jody Foster. A Bette Davis recusou o papel de Scarlett O'Hara, sabia?

Você acha que elas deram a bobeira que você não daria? Elas não são exceção nessa indústria. Isso acontece direto. Normalmente, as pessoas não são capazes de visualizar o filme como o roteirista/diretor vê e acabam tirando o projeto por menos. Mas, com sorte, o diretor vai encontrar um ator perfeito pro papel.

"Perfeito" significa um ator com a aparência física adequada ao papel, uma atitude profissional (sem estrelismos!) e uma boa compreensão do personagem e da história, além de uma grande dose de entrega para confiar em um diretor e deixar ele te guiar através da história. É uma relação de confiança e parceria, que pressupõe humildade e generosidade mútua. A mágica acontece na tela grande quando o diretor encontra esse ator perfeito pra dar vida ao personagem.

Ator, lembre-se que se acontecer de você recusar uma grande oportunidade certamente não vai ser o fim do mundo. Todo mundo pisa na bola em algum momento da vida, certo? As estrelas abaixo tiveram carreiras muito bem sucedidas, apesar de terem recusado papéis icônicos do cinema.

Se tiver que ser, vai ser. Confie.

Roteiro de Senhor dos Anéis não era suficientemente bom

O próprio Sean Connery reconhece que a sua recusa de interpretar o Gandalf do Senhor dos Anéis custou a ele simplesmente 283 milhões de libras esterlinas (aproximadamente R$ 949 milhões). O ex-James Bond receberia 19 milhões de libras esterlinas (cerca de R$ 63,7 milhões) para trabalhar na trilogia dirigida por Peter Jackson e a Warner Bros ainda ofereceu a ele mais 15% sobre a bilheteria. Connery supostamente recusou o papel por causa de preocupações com o roteiro e o personagem coube a Sir Ian McKellen.

Matrix era muito complicado

Will Smith recusou o papel de Neo nos filmes Matrix. Ele disse mais tarde: "Matrix tinha um conceito difícil de ser explicado, eu não consegui visualizar o filme. Assisti à performance do Keanu Reeves e tenho que admitir que eu teria estragado Matrix. Naquele momento eu não era inteligente o suficiente como ator pra deixar o filme ser. Keanu foi inteligente o suficiente pra deixar o filme e o diretor contarem a história, sem tentar interpretar demais a cada momento."

Um Estranho no Ninho não era visualmente atraente

Perguntado uma vez por que ele rejeitou o papel de Randle "Mac" Patrick McMurphy na adaptação cinematográfica de 1975 do romance Um Estranho no Ninho, de Ken Kesey, James Caan teve a honestidade de dizer: "Na época, eu pensava - como "gênio" que sou - que a história não era visualmente atraente, porque acontecia dentro de quatro paredes. Eu não sabia que [o diretor] Miloš Forman era tão bom. Infelizmente, paguei caro pela minha decisão, fiz algumas escolhas ruins na minha carreira." Pelo papel, Jack Nicholson ganhou o Oscar de Melhor Ator e o filme tornou-se um dos três únicos na história do cinema a ganhar todos os cinco grandes Oscars de uma só vez.

Roteiro de Uma Linda Mulher era bonzinho

Uma Linda Mulher foi o filme que 'fez' Julia Roberts, mas o papel da garota de programa de alta classe Vivian Ward, no filme de 1990, com Richard Gere, foi oferecido a Molly Ringwald, a estrela dos filmes cult dos anos 80 Clube dos Cinco e A Garota de Rosa-Shocking. Mais tarde, ela disse: "Eu acho que eu vi um roteiro inicial chamado '$ 3.000'. Não lembro especificamente de ter recusado. O script era bonzinho, mas tenho que dizer, Julia Roberts é quem faz o filme. O papel era dela. Todo ator espera um papel que lhe permita brilhar assim."

Forrest Gump? Não, obrigado.

John Travolta admitiu que recusar Forrest Gump foi um erro. O papel principal na comédia de 1994 foi para Tom Hanks, que ganhou Oscar de Melhor Ator, um dos seis que o filme ganhou incluindo Melhor Filme.

Recusa a convite de amigo para interpretar James Bond

O ator inglês Cary Grant (à esquerda) foi instado a assumir o papel de James Bond (007) por seu amigo Albert "Cubby" Broccoli. Grant (que se tornou americano em 1942) tinha sido padrinho de casamento do produtor de Bond. Sean Connery tomou seu lugar como o primeiro Bond de Hollywood. Foto: Rex Features

Prefiro produzir, estrelar e dirigir meu próprio filme

O papel do personagem principal Andy Dufresne em Um Sonho de Liberdade foi oferecido a Kevin Costner. Ele preferiu se dedicar a Waterworld - O Segredo das Águas, um filme extremamente caro e um fracasso de crítica. Desde então, Costner disse que lamenta profundamente ter deixado Tim Robbins assumir o papel.

A culpa é do agente

Burt Reynolds uma vez admitiu que seu maior arrependimento foi ter recusado o papel de Han Solo em 1977 no filme Star Wars. O papel foi para Harrison Ford, um ator desconhecido que ganhava a vida como carpinteiro. Reynolds disse: "Acho que foi o maior erro da minha carreira e eu culpo o meu agente. A culpa não foi só minha." Foto: AP/Lucas Films

Rede de TV não deixou ele ser Indiana Jones

Harrison Ford não foi o primeiro ator a quem Steven Spielberg e George Lucas ofereceram o papel de Indiana Jones em Os Caçadores da Arca Perdida. O detetive Magnum, Tom Selleck, foi convidado primeiro, mas teve de recusar porque a rede de TV com a qual tinha contrato não o liberou para fazer o filme.

FONTE: The Telegraph.

November 16, 2012

VÍDEO: Entrevista com Bráulio Mantovani, roteirista de 'Cidade de Deus'

Bráulio Mantovani é hoje um dos roteiristas mais prestigiados do país. Após trabalhar com Fernando Meirelles no premiado "Cidade de Deus", despontou para o mercado mundial sendo indicado ao Oscar de melhor roteiro pelo filme.

Mantovani trabalhou ainda em diversas outras produções de sucesso como "O Ano em Que Meus Pais Saíram de Férias", "Linha de Passe", "Chega de Saudade", "VIPs", "Tropa de Elite" e "Tropa de Elite 2". Mesmo assim, ainda sofre com as crises de insegurança da profissão. “Não há fórmulas, a gente descobre fazendo. Tentativa e erro é uma constante do processo criativo, ficar deprimido e achar que não vai conseguir fazer também. Então, passo por momentos de depressão em todos os trabalhos”.

Braulio Mantovani conversou com os alunos da Oficina Tela Brasil de Itaquaquecetuba (SP). Durante o bate-papo, ele conta sobre o trabalho do roteirista e algumas curiosidades das produções em que trabalhou. Muito boa! Não perca!

Fonte: Tela Brasil.

November 03, 2012

STUFFED in Brazil tonight | COISADO no Ceará hoje

My film STUFFED is closing the short film competition of the Fest Cine Maracanaú, in Ceará (Northeast Brazil) today. Very happy for that honor!

Está no Ceará? Não perca HOJE o meu curta COISADO no Fest Cine Maracanaú (Rua Maria Ferreira, 150, Pajuçara, Maracanaú – CE).

Meu filme vai ter a honra de ser o último a ser exibido na mostra competitiva de curtas dentro da programação do festival, antes de uma cerimônia de homenagem marcada para as 20h.

Um gd abraço à organização do festival! Estou muito feliz e gostaria imensamente de poder estar presente.

November 01, 2012

Screenwriting Rule Nr. 1 | Regra n. 1 para escrever roteiros

Rule nr. 1 to accomplish anything: set a (realistic) deadline! That's pretty much my creative writing process. Bottom line: if I didn't have a deadline I would never get it done.

This rule can be applied to anything that you want to accomplish, not necessarily something creative...


Quer realizar algo? Estabeleça um prazo (realista)! Esse é o meu processo criativo pra escrever roteiros. Resumindo: se eu não tivesse um prazo, não teria feito nada até hoje.

Esta regra serve pra qualquer coisa que vc queira realizar, não necessariamente algo criativo.

October 13, 2012

Smile and like me on Facebook! ||| Sorria e me curta no FB!

Please, LIKE my new Facebook page at Gabby Egito! Thanx!
Gostou do gato do Martin Scorcese? Então, por favor
CURTA a minha nova página no Facebook em Gabby Egito

October 10, 2012

Brazil annouces anthology film "Rio, I love you" | Esse curta é só porque, Rio eu gosto de você

One of the high-end production companies in Brazil, Conspiração, announces the anthology film "Rio, I Love You," which will be released in 2014. The project is part of a franchise that has garnered short films to pay a tribute to a city, each by a different director, such as "Paris, je t'aime" and "New York, I love you." Ten acclaimed Brazilian directors are already signed, such as Fernando Meirelles, José Padilha, and Carlos Saldanha. Warner Bros. Pictures will distribute in Latin America (including Brazil), with international sales by West End Films.

Unlike the other editions, the DVD extras of "Rio, I love you" will bring us the winner of a short film contest with the theme "A Story of Love and Rio de Janeiro." Submissions are open until July 31, 2013. They should up to 12-minutes long, can be from anywhere in the world and in any language accompanied by subtitles in Portuguese. However, they must be eligible for a Certificate of Brazilian Production (CPB), meaning they must be produced or co-produced by a Brazilian company and have 67% of cast and crew composed by Brazilians.

Note that the winner won't receive any revenue from the distribution of the film worldwide and must provide an exhibition copy in 35mm or DCP (either in Dolby), plus a copy in HDcam or HDSR. Sweet, isn't it?

Awards for the winner -- elected by Facebook followers among three pieces widely disclosed online -- are: 1) screening at the premiere of the feature film, 2) be part of the DVD extras without any revenue and 3) a 3-month work agreement with the production company Conspiração (TBD). Be my guest!

A Conspiração Filmes acaba de anunciar um concurso de curta-metragens para compor o DVD “Rio, Eu Te Amo”, que será lançado em 2014. O projeto faz parte de uma franquia que já rendeu excelentes antologias dedicadas a uma cidade, como a "Paris, je t'aime" e a "New York, I love you". A distribuição em toda a América Latina (incluindo o Brasil) ficará por conta da Warner Bros Pictures, sendo que as vendas internacionais serão responsabilidade da West End Films.

Os curtas candidatos, originados de qualquer parte do mundo, devem ter no máximo 12 minutos de duração e terem sido finalizados este ano ou até 31 de julho de 2013, quando se encerram as inscrições. Essa competição é perfeita pra você que ama tanto o Rio que resolveu fazer um filme com o tema “Uma história de Amor e o Rio de Janeiro” sem imaginar que haveria um concurso assim. (Desculpe o sarcasmo desta paulistana que vos fala.) Senão, há ainda quase 9 meses para criar uma história que faça jus ao tema, angariar fundos decentes, filmar e finalizar com uma qualidade técnica esperada em um projeto desse porte, não é mesmo? Moleza.

Somente três curtas que se enquadrem nos requisitos acima serão selecionados por uma comissão e postados na fan page do projeto no Facebook. O curta número 1 será escolhido pela comunidade de seguidores.

Este único vencedor (aquele que fez a inscrição, não necessariamente o diretor) assinará um contrato de trabalho de três meses com a produtora (com termos a serem definidos posteriormente pela empresa). Mas fiquem avisados, a "Conspiração não arcará com nenhum gasto e/ou custo de viagem, estadia – nem nenhum outro – para cumprimento e usufruto do contrato de trabalho e/ou para a pré-estréia", segundo o parágrafo 17 do regulamento.

Outro item interessante é que o filme vencedor mundial será alojado nos extras do DVD e não receberá receita alguma pela comercialização do mesmo. Ah! O vencedor terá ainda que fornecer uma cópia de exibição em 35mm ou DCP, ambas em Dolby, e ainda uma cópia HDcam ou HDSR – obviamente sem qualquer custo para a Conspiração. Estamos falando somente de alguns milhares de dólares aqui. Coisa pouca...

Faço um parênteses para ressaltar algo que me soa paradoxal. O regulamento diz que os curtas podem ser "enviados de qualquer parte do mundo e em qualquer língua original". Mas, para fazerem parte dos três selecionados que serão votados, precisam necessariamente apresentar o Certificado de Produto Brasileiro (CPB), emitido gratuitamente pela Ancine.

Pra quem não sabe, um dos requisitos para um filme receber o CPB é ter sido produzido por pessoa física ou jurídica brasileira além de ter 2/3 da equipe (no total, incluindo elenco) composta por brasileiros, dentre outros requisitos. Por essa lógica, por exemplo, meus filmes premiados aqui nos EUA não são considerados brasileiros e nunca receberão o CPB ou as benesses do governo brasileiro reservadas para os portadores deste documento.

Mas voltando ao DVD! O miolo, ou seja, o longa-metragem em si, já está reservado para 10 diretores renomados – entre brasileiros e estrangeiros – que, acredito eu, receberão recursos para filmar com primor seus projetos (exclusivamente criados para o DVD) a partir de julho de 2013. Ou seja, eles têm aí cerca de 9 meses para criação e pré-produção. E imagino que vão cumprir as regras do CPB, né?

De qualquer forma, acho muito generoso e digno incluir um talento emergente na cozinha de um banquete tão refinado, que inclui diretores como Fernando Meirelles, José Padilha, Andrucha Waddington e Carlos Saldanha. Afinal, as versões Paris e Nova York não abriram espaço para estreantes, certo? Bom, naquela época também não existiam redes sociais como hoje...

Enfim, parabéns pela iniciativa e mãos à obra, galera! Desejo sorte aos empreendedores destemidos. Parafraseando Tom Jobim, "esse curta é só porque, Rio eu gosto de você".

(Com informações da Tela Viva e do site oficial do projeto)

October 08, 2012

Brazil is one of the focuses of Sony Pictures Television in coming years

Andrea Wong at MIPCOM, the
leading content market
The Brazilian market is one of the focuses of Sony Pictures Television, according to Andrea Wong, president of international production of the company. The executive noted that the key strategy of Sony's focus on creating original content and that one of the guidelines is to target emerging markets like Brazil, Russia, China, India and some countries in Asia.

In Russia, Sony already has some local versions of the channel series. In China, the company formed a joint venture that licenses to produce and in Brazil there are projects to come, according to the executive. "I believe Brazil will go through a proliferation of content creation," she said at the Mipcom, held in Cannes this week.

SOURCE: Tela Viva - Brasil é um dos focos da Sony Pictures Television nos próximos anos

October 06, 2012

Bilingual social network for film and TV in U.S.

Check out PRODUSSA, a social network for film, TV and music industries.

Search and post for jobs, publicize your company, buy and sell gear, search for talent and crew, create your production team, publish your events, buy and sell your own music, post your videos.

NOTE: Website is in English and Portuguese. Yes, it's a website developed by Brazilians in U.S.! Cool!

October 02, 2012

RUMOR: Would American studios be acquiring TV networks in Brazil?

News published this week in the Brazilian media say that two major international conglomerates attached to American studios would be interested in buying the third and fifth TV networks in Brazil.

According to magazine Veja, one of the most influential outlets of the Brazilian press, media mogul Rupert Murdoch would be discussing the acquisition of SBT network in association with the wealthiest man in Latin America, Brazilian Eike Batista. Murdoch News Corporation is the world's second-largest media conglomerate and owns Twentieth Century Fox, The Wall Street Journal and the major Brazilian cable and satellite television distributors Sky and DirecTV.

SBT - Sistema Brasileiro de Televisão (Brazilian TV System) is the third in national audience and it is owned by Silvio Santos, a famous Brazilian TV host. Its programming relies on imports mainly from Mexico and the U.S.. The network has an agreement with Warner Brothers, giving it an exclusivity deal for its sitcoms, dramas and films. In addition to Mexican soaps and their remakes, the channel also airs Brazilian versions of shows such as American Idol, Supernanny and Deal or No Deal (presented by Santos).

According to Uol, the largest news website in Latin America, the acquisition of Rede TV (TV Network) by the Brazilian branch of Sony Pictures would be on the table as well. Rede TV is the fifth on the national ranking and has been through a financial crisis in recent months. The sale would be one of the solutions.

Brazilian soaps audience is
equivalent to the Superbowl

The audience in Brazil of the soap operas is equivalent to the Superbowl in the U.S., with the difference that is stable and daily while the American event is held annually, pointed out the marketing director of Rede Globo, Anco Saraiva. Rede Globo is the second-largest commercial TV network in annual revenue worldwide, behind just of ABC, and one of the largest producer of telenovelas.

According to Saraiva, Globo's novelas reach 160 million people per month. He pointed out that watching soap operas is considered the third largest Brazilian habit, second only to eat and sleep. "An audience as the one generated by the soaps in Brazil is not seen in any other country, and the market should take advantage of that," said the director, who participated in a panel during the event MaxiMídia today.

- Eike Batista pode ter Rupert Murdoch como sócio no SBT, diz Veja
- Rede TV pode ser vendida para a Sony Pictures, diz Uol
- Audiência das novelas equivale à do Superbowl

September 25, 2012

My short is in the run on 4 festivals!

I couldn't be happier. My three-time award-winning film STUFFED is in the run on four film festivals. This week, is being screened at the Arizona Underground Film Festival. The event is held until Sunday in Tucson, with the attendance of my film's lead actor Steven Bartlett.

Next week, STUFFED travels to the Vegas Cine Fest (Oct. 3-7). The screening of STUFFED will be held on Friday (5), 5:40 pm, at the Palms Resort & Casino. My film's lead actor Phil Miler will attend a Q&A right after the screening.

STUFFED is also one of the 22 short films officially selected to the Eerie Horror Film Festival, that will be held Oct 11-14, in Erie, PA.

Still on October, STUFFED will be screened twice at the Orlando Film Festival: Thursday (18), 7 pm, and Friday (19), 12 pm. The event honors two-time Oscar winner Milos Forman, director of two of my favorite films of all times: One Flew Over the Cuckoo's Nest and Amadeus.

Haja coração! Meu filme premiado COISADO (Stuffed) compete em quatro festivais. Esta semana, está no Arizona Underground Film Festival, que vai até domingo em Tucson, Arizona, com a pariticipação de um dos atores principais do curta, o americano Steven Bartlett.

Na próxima semana, COISADO segue para o Vegas Cine Fest. A exibição do curta está marcada para sexta (5), às 17h40 no Palms Resort & Casino. A sessão será seguida de um bate-papo da platéia com um dos atores principais do meu filme, o brasileiro Phil Miler.

COISADO é também um dos 22 curtas selecionados oficialmente pro Eerie Horror Film Festival, que acontece de 11 a 14 de outubro na cidade de Erie, na Pensilvânia

Ainda em outubro, COISADO será exibido duas vezes no Orlando Film Festival, na Flórida. A primeira sessão será na quinta (18), às 19h, repetindo na sexta, ao meio-dia. O festival vai homenagear o vencedor do Oscar Milos Forman, diretor de dois dos meus filmes preferidos de todos os tempos: "Amadeus" e "Um Estranho no Ninho".

September 11, 2012

$25K award to best Brazilian short screenplay | Concurso premia melhor roteiro com R$ 50 mil

The Brazilian contest Filma Brasil (Shoot Brazil) is going to award the best short screenplay (5 to 15 minutes) with approximately US$ 25,000 to the production of the story. Free submissions open until December 15.

Roteiristas e cineastas de todo o Brasil! O Filma Brasil recebe inscrições até o dia 15 de dezembro para o concurso que vai premiar o melhor roteiro de curta-metragem (5 a 15 minutos) com R$ 50 mil para a produção do filme.

Não é preciso ter experiência ou portfólio, sendo pessoa física ou jurídica. Basta enviar o roteiro com o tema "Ser sustentável é..." além de um vídeo preview de até 90 segundos defendendo a ideia de como imagina o filme pronto.

O vencedor será escolhido por uma banca de jurados do universo audiovisual e por votação popular, sendo que o público tem peso 01 e os especialistas têm peso 09.

Acesse o regulamento aqui ou visite o Boa sorte e mãos à obra!

July 23, 2012

Two awards in three days ||| Dois prêmios em três dias


The Hollywood Reporter
'Capitan of the Sands' Wins Top Prize at Los Angeles Brazilian Film Festival

Gabby Egito, director of the short Stuffed, took home the L.A. Short award. Egito’s film is inspired by the critically-acclaimed novel 'The Devil to Pay in the Backlands'. -- THR
AdoroCinema (4th largest Brazilian website dedicated to entertainment industry news)
Capitães da Areia e 2 Coelhos premiados em Los Angeles
['Capitan of the Sands' and 'Two Rabbits' awarded in Los Angeles]

BDCi TV - Brazilian Digital Channel (based in the southwestern U.S., broadcasts in English, Portuguese and Spanish.)
Orgulho nacional no mundo do cinema [National pride in the film world]

AcheiUSA (weekly Brazilian newspaper distributed in South Florida)
Cineasta brasileira vence 2 festivais nos EUA - A façanha é ainda mais notável por ela ter ganho as duas competições em um intervalo de três dias [Brazilian filmmaker wins two festivals in the U.S. - The feat is even more remarkable because she won the two competitions in an interval of three days.]

Comunidade News (weekly Brazilian newspaper from Connecticut.)
Em uma semana, filmes de cineasta brasileira levam dois prêmios nos EUA [In one week, Brazilian filmmaker takes two awards in the U.S.]

Brazilian Press (largest Brazilian newspaper outside Brazil. It is distributed in NY, NY, CT, MA, PA, W/DC and MD.)
Cineasta brasileira vence dois festivais nos EUA [Brazilian filmmaker wins two festivals in the U.S.]

Brazilian Times (the most circulated Brazilian newspaper in the U.S.: New York, New Jersey, Connecticut and Pennsylvania)
Cineasta brasileira vence 2 festivais nos EUA [Brazilian filmmaker wins 2 festivals in the U.S.]

Gazeta Brazilian News (weekly newspaper that reaches 75,000 readers in South Florida)
Cineasta brasileira vence dois festivais nos EUA [Brazilian filmmaker wins two festivals in the U.S.]

Linha Aberta (monthly Brazilian magazine that reaches more than 30,000 readers in South Florida, Orlando and Fort Myers.)
Cineasta brasileira vence 2 festivais nos EUA [Brazilian filmmaker wins 2 festivals in the U.S.]

Brazilian Voice (main newspaper for Portuguese communities residing in U.S., distributed in NJ, NY, MA, PA, CT and DE) 
Cineasta brasileira conquista prêmio no Las Vegas Film Festival 2012 [Brazilian filmmaker wins award at the Las Vegas Film Festival 2012]

CinePipocaCult (popular Brazilian website dedicated to entertainment industry news)
Cineasta brasileira vence 2 festivais nos EUA
[Brazilian filmmaker wins 2 festivals in the U.S.]

Papo de Cinema (popular Brazilian website dedicated to entertainment industry news)
Festival em Los Angeles premia produções brasileiras
[Festival in LA awards Brazilian productions]

June 19, 2012

Stuffed in Los Angeles and Las Vegas in July | Coisado em LA e LV em julho

My short film STUFFED is one of the 18 short films selected to the Los Angeles Brazilian Film Festival (LABRFF), that will take place July 15 through 19 at the Academy’s Lindwood Dunn Theater in Hollywood, and the Landmark Theatre in West Los Angeles. Note: Jul 19th is my birthday! I would love to get the perfect present and you know what it is, right? LOL

On July 15th, festival will offer world premiere of “Open Road”, directed by Marcio Garcia, starring Andy Garcia, Camilla Belle, John Savage, Juliette Lewis, Colin Egglesfield and Christiane Torloni.

The screening of my film is on Wednesday (18th) at 7:30 pm at the Landmark Movie Theatre (10850 West Pico at Westwood Blvd. Los Angeles, CA 90064).

STUFFED is also officially selected to the Las Vegas Film Festival, that will take place at the beautiful Las Vegas Hilton Hotel and Casino July 19th - 22nd, 2012. Dedicated to showcasing the finest American and international cinema the world has to offer, the festival's mission is to bridge the gap between independent film audiences and filmmakers, as well as to connect emerging filmmakers with established industry professionals.

The festival offers a variety of film screenings from Oscar-winning films to world premieres, exclusive celebrity tributes and interviews, interactive panel discussions, a screenplay competition, red carpet parties, a filmmaker reception, as well as a closing night ceremony and awards. The screening of STUFFED will be held on Sunday, July 22, at 11 am - Hilton Hotel.

Meu curta COISADO é um dos 18 curtas selecionados para o Los Angeles Brazilian Film Festival, que acontece de 15 a 19 de julho em LA. Detalhe: 19/jul é meu aniversário! Eu quero um presente perfeito e vc já sabe qual é, né? kkkkk

O festival abre com a estréia mundial do filme "Open Road", dirigido por Marcio Garcia, estrelando Andy Garcia, Camilla Belle, John Savage, Juliette Lewis, Colin Egglesfield e Christiane Torloni.

A exibição do meu curta acontece na quarta-feira (18), às 19h30 no Landmark Movie Theatre (10850 West Pico at Westwood Blvd. Los Angeles, CA 90064).

COISADO também faz parte da seleção oficial do Las Vegas Film Festival, que acontece no Las Vegas Hilton Hotel Casino de 19 a 22 de julho. Dedicado a mostrar o melhor do cinema americano e internacional, a missão do festival é fazer a ponte entre o público e os cineastas independentes, bem como conectar cineastas emergentes com profissionais estabelecidos na indústria.

O festival oferece uma variedade de exibições de filmes vencedores de Oscar a estréias mundiais, homenagens exclusivas e entrevistas com celebridades, painéis interativos, um concurso de roteiro, festas de tapete vermelho, uma recepção para cineastas, bem como cerimônia de premiação na noite de encerramento. A exibição de COISADO será realizada no domingo, 22 de julho, às 11 horas, no Hotel Hilton.

May 07, 2012

My documentary will be screened Friday in Brazil | Meu documentário será exibido sexta em Brasília

Life Is A Wild River: it's not about catastrophe, but about overcoming

The documentary LIFE IS A WILD RIVER, produced, directed and edited by me, is one of the 44 films selected for the national competition at the Very Short International Film Festival. The video -- which follows the impact of the Mundaú River’s flooding on the city of Rio Largo in northeast Brazil -- will be screened Friday (11) at the Museum of Republic, in Brasília.

The festival is the Brazilian division of the Festival International des Très Courts, a French competition that takes place simultaneously in 15 countries. My doc is in the running for three awards.

My documentary is a life lesson in a 3-minute nutshell with no dialogue. It's not about catastrophe, but about overcoming. At the end of the film, a message reveals that although 500 families lost their homes, in the same year 338 marriages were celebrated, and 1,135 babies were born in the city. That is, life goes on and humans have an extraordinary power to prevail.

When the flood happened, I was studying in Los Angeles. My friends told me about it and that touched me. I found a good amount of videos on Youtube and contacted the cameraman Klismair Almeida. I showed him a rough cut of my proposal. He loved it and gave me the rights. Likewise, I contacted the composer Leo Perez, with whom I had worked previously, and got the rights to two songs that are used.

Besides the documentary, I have two narrative films running the festival circuit. The neo-noir/magical realism Stuffed, won for Best Short Drama at the Atlantic City Cinefest, and was screened in the Canadian Dark Bridges Film Festival last Friday night, in Saskatoon. The black comedy Synergy, winner of a Merit Award at the Awareness Film Festival, has been selected for 10 festivals around the world. It screened last month at the Boyle Heights Latina Independent Film Extravaganza.

Klismair (cinegrafista) e eu (diretora): parceria em "A Vida É Um Rio Selvagem"

O documentário “A Vida É Um Rio Selvagem”, produzido, dirigido e montado por mim, é um dos 44 filmes selecionados para a mostra competitiva brasileira do Festival Internacional de Filmes Curtíssimos. O vídeo -- que mostra o impacto da enchente do Rio Mundaú na vida dos moradores da cidade de Rio Largo (AL) -- será exibido sexta (11), às 20h,  no Museu da República, em Brasília.

O evento faz parte da programação do Festival International des Très Courts, originalmente criado na França como vitrine da produção audiovisual mundial de filmes de até 3 minutos, e que atualmente conta com exibições simultâneas em 15 países, dentre os quais Bélgica, China, Espanha, Hungria e Romênia. Integrante da mostra competitiva brasileira, “A Vida É Um Rio Selvagem” concorre a três prêmios: Melhor Filme, Originalidade, e Prêmio do Júri Popular.

Meu documentário é uma lição de vida contada em três minutos através de imagens, sem diálogos. Não é um filme sobre castástrofe, mas sim sobre superação. Ao final, um texto curto revela que cerca de 500 famílias perderam suas casas, mas no mesmo ano foram celebrados 338 casamentos e 1.135 bebês nasceram no município. Ou seja, o ser humano tem um poder extraordinário de dar a volta por cima nas maiores adversidades da vida.

Quando a enchente ocorreu, em julho de 2010, eu estudava cinema em Los Angeles, onde resido atualmente. Já havia estado em Rio Largo por diversas vezes quando morava em Maceió e o relato de amigos por telefone sobre a devastação da cidade me comoveu profundamente.

Para montar o documentário em Los Angeles, Gabriela garimpou vídeos na internet e reuniu fotos. Com um rascunho do projeto em mãos, ela contactou o cinegrafista Klismair Almeida, da KL Filmes, autor de praticamente todos os vídeos utilizados. “Quando assistiu à minha pré-montagem, o Klismair adorou a proposta e topou na hora fazer uma parceria”, conta a diretora.

Da mesma forma, ela contactou um compositor com quem já havia trabalhado anteriormente, o colombiano Leo Perez, que mora na Flórida. “Ele achou incrível como as músicas dele se encaixaram com perfeição no que eu queria expressar, apesar de ele não ter composto originalmente para o filme”, lembra a cineasta.

Além do documentário, tenho mais dois filmes de ficção no circuito de festivais. Seu curta “Coisado” -- exibido em dezembro no Cine Sesi, na Pajuçara -- ganhou o prêmio de Melhor Curta de Drama no Atlantic City Cinefest e faz parte da seleção oficial do Dark Bridges Film Festival, que acontece este mês no Canadá. E seu curta “Sinergia”, vencedor do Merit Award no Awareness Film Festival, já percorreu uma dezena de festivais pelo mundo.

Vou lançar ainda dois outros filmes no primeiro semestre nos EUA e depois me dedico à busca de patrocínio para o curta “Caganito”, que pretendo rodar no próximo ano em Alagoas com equipe internacional.
CONFIRA reportagens sobre o " Vida É Um Rio Selvagem" publicadas no Brasil:

Cine Pipoca Cult
A Semana no Cinema | Crítica: A Vida É Um Rio Selvagem

Alagoas em Tempo Real
Documentário sobre a enchente em Rio Largo será exibido na terça-feira em festival internacional

Alagoas 24 Horas
Documentário sobre Rio Largo será exibido em festival internacional

Aqui Acontece

Documentário sobre Rio Largo será exibido em festival internacional

Identidade Alagoana
Documentário sobre Rio Largo será exibido em festival internacional

O Nordeste
Documentário sobre Rio Largo será exibido em festival internacional

Alex Fernandes
Documentário sobre Rio Largo

Dom Oleari
Gabby Egito emplaca três filmes em festivais internacionais simultaneamente

Arquivo X de Cinema
A Vida É Um Rio Selvagem

Tribuna Hoje | Flávio Gomes
Nota: A Vida É Um Rio Selvagem

May 03, 2012

Festival in Canada screens Stuffed tomorrow

My film STUFFED is one of the 25 shorts officially selected to the 3rd Dark Bridges Film Festival, a premiere showcase of cool independent and foreign genre films that will take place from today to 6th in Saskatoon, Canada.

My short film will precede the screening of the Australian noir award-winning feature Crawl tomorrow night, 7pm, at The Broadway Theatre.

Don't miss as well the fun and quirky black comedy Some Guy Who Kills People, directed by my dear mentor Jack Perez (The Big Empty), on Sat (5th), 2:30pm, at the same venue.

Congrats to the Dark Bridges' founder John Allison and all the team that is making that great festival happen! Thank you!

April 29, 2012

The hottest Brazilian in Hollywood | Rodrigo Teixeira, o infiltrado em Hollywood

When you arrive in Hollywood, the agents always offer you the same shit.
The crumbs, as usual. I didn't come all the way to the U.S. for that.
As Americans have eyes only to themselves and underestimate the rest
of the world, they think you (Brazilian) suck and they are the smart ones.
The first project they offer you is with Andy Garcia, Benicio del Toro
and Gael (Garcia Bernal). They're calling you Chicano.
Great interview by the website IG with a Brazilian producer that has projects in development with Brad Pitt, Harrison Ford, Ewan McGregor and Ben Stiller. Until recently unknown to the public, Teixeira drew attention to himself in early April for having bought the rights to adapt Bob Dylan's 1975 album "Blood on the Tracks" into an English-language movie. The acquisition was featured by Variety.

That was not the first foray of RT Features, the producer's company in Hollywood. Teixeira moves silently through offices in Los Angeles and New York since 2008, buying rights to books with the potential to become movies. The Brazilian began to acquire a reputation for good dealer behind the scenes and in a short time, was in meetings at the offices of George Clooney, Johnny Depp and other stars in search for partnerships.

RT is also one of the sponsors of Sundance and the company has the right to examine firsthand the projects that pass through the festival's prestigious labs. Teixeira is also going to release soon his directorial debut feature shot in the U.S.

Unfortunally, I won't be able to translate the long text. It's a pitty you don't speak Portuguese! Check the highlights below:

IG: How was your arrival in Hollywood?
Rodrigo Teixeira: Well, I do not believe in the Hollywood dream. When you arrive in Hollywood, the agents always offer you the same shit. The crumbs, as usual. I didn't come all the way to the U.S. for that. As Americans have eyes only to themselves and underestimate the rest of the world, they think that you (Brazilian) suck and they are the smart ones. The first project they offer you is with Andy Garcia, Benicio del Toro and Gael (Garcia Bernal). They're calling you Chicano.

IG: The U.S. market sees the Brazilians with those eyes?
Rodrigo Teixeira: Yes. What they do not understand is that we're not that kind of Latin, we are something else. Brazil is within the context of South America, but we are isolationists. We speak Portuguese and the rest of the continent, Spanish. We are a hybrid, we are different. We're not the stereotypical Latino. But that's the way they look at us and what they offer us, because they are not aware that we know the market.

IG: The news of the purchase of the rights of "Blood on the Tracks" got a lot of fuss, did't it?
Rodrigo Teixeira:
It was huge. "New York Times", "Los Angeles Times", "Chicago Tribune", Tokyo, France, London announced that. RT Features is now on the 498th at the IMDB ranking. The second Brazilian producing company (O2) is in 1800th. I became the first Brazilian producer in the rankings and the second is Fernando Meirelles (City of God). Just because of Bob Dylan. The next day, the entire Hollywood was trying to reach us: directors, actors, screenwriters, either to get to know us or to join the project.

"Hollywood is pure cliché: you are what you can afford, it's about money. It's about how much your idea can leverage. The American cinema is like a stock market. It's a huge culture shock for us. We lose our illusions." -- Rodrigo Teixeira


Excelente entrevista do IG São Paulo com Rodrigo Teixeira, um produtor brasileiro que está chacoalhando Hollywood. Esse, entende do business cinema meeesmo. Bato palmas. Arrasou. Confira abaixo os destaques da reportagem:

Rodrigo Teixeira, o infiltrado em Hollywood

"Hollywood é puro clichê: você é o que pode pagar, é dinheiro. A mecânica é a capacidade de quanto a sua ideia pode gerar. O cinema americano é uma bolsa de valores, um choque cultural muito grande. Você perde a ilusão."

Robert de Niro e Al Pacino olham com cara de poucos amigos por sobre o ombro do produtor Rodrigo Teixeira em seu escritório em São Paulo. "São meus guarda-costas", afirma o empresário de 35 anos, olhando orgulhoso para a foto de cena dos atores em "O Poderoso Chefão 2" (1974). Mal sabem eles que estão zelando pela segurança do brasileiro mais quente hoje em Hollywood.

Até há pouco tempo desconhecido do grande público, Teixeira chamou a atenção no início de abril por ter comprado os direitos autorais de "Blood on the Tracks", disco clássico de Bob Dylan de 1975, para uma futura adaptação no cinema. A informação foi noticiada pela Variety, bíblia do mercado audiovisual norte-americano, e repercutiu mundo afora.

Essa não foi a primeira incursão da RT Features, empresa do produtor, em Hollywood. Teixeira circula silenciosamente por escritórios de Los Angeles e Nova York desde 2008, comprando direitos de livros com potencial para virar filme. O brasileiro começou a adquirir uma reputação de bom negociante nos bastidores e, em pouco tempo, estava em reuniões nos escritórios de George Clooney, Johnny Depp e de outros astros em busca de parcerias.

Atualmente, a produtora tem projetos engatilhados com Brad Pitt, Harrison Ford, Ewan McGregor e Ben Stiller, sem contar longas-metragens brasileiros com grande potencial de bilheteria, caso do filme sobre a vida de Tim Maia e de "O Mistério do Cinco Estrelas", adaptação do adorado romance juvenil de Marcos Rey. A RT também é uma das patronas do Festival Sundance, vitrine do cinema independente norte-americano – em troca de patrocínio, a empresa tem direito a analisar em primeira mão os projetos que passam pelos prestigiados laboratórios do festival.

iG: Como foi a sua chegada em Hollywood?
Rodrigo Teixeira:
Bem, eu não acredito no sonho hollywoodiano. Quando você chega em Hollywood, (os agentes) oferecem as mesmas merdas de sempre. O resto, sempre. Eu não fui para os EUA para pegar esse tipo de coisa. Como o americano só olha para ele e não para o resto do mundo, ele acha que você é um merda e ele, o esperto. O primeiro projeto que te oferecem tem o Andy Garcia, Benicio del Toro e o Gael (Garcia Bernal). O cara está te chamando de chicano.

iG: O mercado nos EUA vê os brasileiros com esses olhos?
Rodrigo Teixeira:
Vê. O que eles não entendem é que nós não somos esse tipo de latino, somos outra coisa. O Brasil está dentro do contexto da América do Sul, mas somos isolacionistas. Falamos português e o resto do continente, espanhol. Somos um híbrido, diferentes. Não temos o estereótipo latino. Mas é a maneira como eles nos olham e o que eles oferecem, porque não sabem que você conhece (o mercado).

iG: O primeiro passo é ultrapassar essa barreira de mercado?
Rodrigo Teixeira:
Isso. Eles esquecem que nós, a minha geração especificamente, fomos criados... Não fui criado na década de 1960, na Nouvelle Vague, num ambiente repressivo, lutando contra a ditadura. Nos anos 1980 você não tinha acesso ao cinema coreano, cinema iraniano, não existia isso. Era uma coisa totalmente voltada para o cinema americano, minha formação foi essa. Foi assim da década de 1970 até a metade dos anos 1990. Como espectador, comecei a me interessar por uma cinematografia mais sofisticada, outros mercados, diretores, histórias, no final dos anos 1990, já era um jovem adulto. Por isso eu conheço cinema americano. Conheço todo: cinema clássico, Buster Keaton, Billy Wilder (que é austríaco, mas a obra é americana), cinema independente dos anos 1970, Bob Rafelson, musicais, Spielberg, Scorsese, Brian de Palma... É só um ter um pouco mais de cultura e você sabe que merda o cara está te oferecendo.

iG: Muita gente questiona o uso de incentivo fiscal para projetos comerciais no Brasil.
Rodrigo Teixeira:
Aí discordo, acho uma sacanagem. Por que subsidiar o filme de um e não o de outro? O que ele tem de melhor? Se o projeto está tendo retorno, proporciona muito mais visibilidade para quem deu o incentivo fiscal, a marca [a empresa] vai aparecer muito mais do que no filme visto por 2 mil pessoas. Não dá para discriminar quem faz cinema de público e quem faz cinema autoral. Eu faço cinema autoral e vou fazer de público, se Deus quiser. Mas não quero ser discriminado por isso e não discrimino os outros.

iG: Você toparia fazer um filme só pelo dinheiro?
Rodrigo Teixeira:
Toparia. Tenho que pensar como empresário. Não faço publicidade, filmes para empresa... Eu vivo de entretenimento. E se não pensar nisso, estou morto. Obviamente vou tentar ao máximo investir numa coisa que eu gostaria de pagar para ver e espero que dê certo.

iG: Como tornar os filmes produzidos no Brasil interessantes para o mercado estrangeiro e fugir do estereótipo do "favela movie"?
Rodrigo Teixeira:
"A Mulher Invisível", por exemplo. Se alguém quisesse transformar aquilo num filme americano, faria sucesso, a ideia é brilhante, óbvia. Bota o Mark Rufallo e a Reese Witherspoon para você ver. Isso o Cláudio Torres faz muito bem, aquele filme que não tem favela, é universal. E mesmo "O Abismo Prateado" se passa no Rio de Janeiro e não tem uma cena na favela.

iG: O Brasil não tem tradição em alguns gêneros, com ação, terror.
Rodrigo Teixeira:
Ação até tem. Aquele cara que fez "Dois Coelhos", Afonso Poyart, está bombado nos EUA. Um agente americano viu a qualidade das cenas de ação e o mercado americano precisa de gente que saiba dirigir cenas de ação. E o brasileiro é barato: eles preferem pegar um brasileiro novo do que o Ridley Scott. Pode acreditar que o Afonso Poyart vai fazer um filme desses nos EUA.

iG: Quem fez um filme lá agora e está reclamando bastante é o Heitor Dhalia.
Rodrigo Teixeira:
Porque a ansiedade do Heitor fala mais alto. Ele poderia ter feito algo muito melhor, apesar de eu não ter visto "12 Horas", pelo acesso e reconhecimento que ele tem. Eu fui numa reunião em que um agente falou que o Colin Farrell faria o filme que o Heitor quisesse. Eu ouvi isso, ninguém me contou. Keira Knightley, a mesma coisa. Coloca esses dois no "12 Horas" e vê se não muda a bilheteria do filme.


April 03, 2012

Reader asks 'What if filmmaking doesn't work out?' | Leitora do blog pergunta 'E se ser cineasta não der certo?'

Hi Gabby (:

First of all: I must confess that this is the first time I read your blog. But it helped me so much and so fast that I decided to write you. In fact, I needed it. I've never had contact with anyone who worked directly with cinema.

My family is involved in a small festival, but only in the production of the festival itself. Still, it's my dream to work in this medium. A few days ago, I talked about that with my mom, since I'll take the national exam this year and she was expecting me to take a decision (in fact, I always knew what I wanted to work with, but I was afraid to tell my family). The first question she asked me when she heard "cinema" was:"And how do you expect to make money out of it?"

Her lack of trust in my potential destroyed me and made me ponder about it. The topic "future" always makes me scared. I could even say that, at age 17, I feel depressed of thinking about the lack of job opportunities in the industry. I know that sounds very melodramatic, but I often cry at night because of that.

And then, today, researching film courses, I found your blog. It really was like a light into my life. I read that you first majored in Journalism and Psychology, and then felt something was missing, gathered money and went to LA, right? Not sure this would be the more correct way, but I decided to do the same thing. Medicine is a course that had also interested me, despite having nothing to do with filmmaking. Moreover, if I become a doctor (I speak as if that was very simple to achieve, but I know it will take a lot of hard work), I guess my family wouldn't worry so much about me.

I guess I've sent you this email because I needed to tell my "mature and rational" decision to someone more than really to ask you something, but I'd love to hear what do you think about it. And talk a little about your decision as well (as I said, I am new reader of the blog, so I'm not up to date with your story). Would you have done things differently? Would you wish to have started working in movies earlier? Any tips for beginners?

I hope very much that you can read my email and answer it. It's really VERY important to me. Thanks anyway.

And congratulations on your success, I hope to get there someday too.

Hi, Beatriz:

It's hard to be nosy on other people's lives, but you called  me, right? LOL

Who doesn't like movies, right? Unfortunately not everyone was born to be a filmmaker though. It is not uncommon that one graduates from filmmaking and realizes that they was not meant for that career, although their unquestionable love for movies. I know many people who graduated from fancy U.S. colleges 3, 4 years ago and they are the only ones from their class that is still working in the industry or rather struggling in the industry.

Who wouldn't love to write the story of their life and turn it into a movie? But go write a 100 pages and then rewrite them over 50 times until there's something decent to be presented. Are you following me? It's very complicated to define a career without knowing exactly what awaits you on the daily routine without any glamour.

I can tell you that if this is really your dream, go for it, invest on it. Find out, get informed. I made dozens of short term courses in Brazil, while working as a journalist, and they were all great for my training. And several of them were offered for free. They gave me the foundation I needed to be successful now. When I made my decision to come to LA, I knew exactly what I wanted because I had already experienced it. It wasn't daydream. I knew exactly what I was buying.

Why don't you work at that film festival? Or at least go there and mingle with the participants to learn more about how's their life. So you can see if you identify with their lifestyle. Compare whether your way, your personality, is like theirs. Perhaps you may even be included in a group to go to a shooting and see how it works in practice.

But mark my words: if you're 17 and you cry of anxiety just of thinking about the industry that awaits for you, you'd better not to get in the filmmaking business. Even if you are successful in the area, being a filmmaker is not a career with a regular paycheck. Filmmakers are entrepreneurs. They are hired for each gig. No work, no pay. If you cannot handle those ups and downs it will not fit you.

I personally believe it's very silly to choose to be a doctor or a lawyer just because one assumes they'll make a lot of money. If you love what you're doing the odds are you'll make money eventually! Do you believe a hair stylist makes money? I've recently read a news article about a Brazilian celebrity hairdresser who charges $ 250 for a haircut. And he is usually booked for the whole month in advance.

The first step to be successful in a career is to love what you do. Then you have the strength to overcome every day. Thus study is not suffering. Everything becomes a fun challenge. It's not like, "Oh, my God, do I have to study this boring shit again? Why do they keep changing those laws? Or why do they have to invent a new surgery? Why the world is against me? Why? Why?" LOL

Do you understand the difference? Then research how the career you would like to adopt as yours works in a daily basis. Interview professionals. Attend short term courses to get acquainted. Look for a professional career guidance and make tests. It's true what they say: every career requires a specific ability and personality.

I hope that helps. Cheers!

Oi Gabby (:
Antes de mais nada: devo confessar que esta é a primeira vez que leio seu blog. Mas ele me ajudou tanto e tão rápido que eu resolvi escrever. Na verdade, eu precisei. Nunca tive contato com ninguém que trabalhasse diretamente com cinema. Minha família está envolvida em um pequeno festival, mas só mesmo na produção do evento. Mesmo assim, é meu sonho trabalhar neste meio. Há alguns dias, falei sobre isso com a minha mãe, já que vou prestar vestibular este ano e ela estava esperando que eu tomasse alguma decisão (na verdade, sempre soube com o que quero trabalhar, mas tinha medo de contar para a minha família). A primeira pergunta que ela me fez quando ouviu "cinema" foi: E como você espera ganhar dinheiro com isso? 
A falta de crença dela acabou comigo, e até me fez refletir mais sobre o assunto. O tópico "futuro" sempre me deixa apavorada. Posso até falar que, aos 17 anos, sou depressiva por pensar demais no mercado de trabalho. Sei que soa muito melodramático, mas choro todas as noites por causa disso. 
Foi quando, hoje, pesquisando sobre cursos de cinema, cheguei até o seu blog. Realmente, foi como uma luz. Eu li que você primeiro se formou em jornalismo e em psicologia, e então sentiu que faltava alguma coisa, juntou dinheiro e foi para L.A., certo? Não sei se este seria o caminho mais correto, mas decidi fazer a mesma coisa. Medicina é um curso que também me interessa, apesar de não ter nada a ver com o meio cinematográfico. Além do mais, caso eu me formasse médica (falo como se achasse simples, mas eu sei que vai dar um puta trabalhão), minha família se sentiria mais segura. 
Acho que mandei este email mais por precisar contar minha decisão "madura e racional" para alguém do que realmente para perguntar alguma coisa, mas adoraria que você opinasse no meu caso. E fale um pouco sobre a sua decisão também (como eu disse, sou leitora nova do blog, então não estou muito por dentro). Você teria feito diferente? Gostaria de ter se dedicado desde mais cedo integralmente ao cinema? Alguma dica para principiantes? 
Espero muito que você leia meu email e possa respondê-lo. É realmente MUITO importante para mim. Obrigada de qualquer forma. 
E parabéns pelo sucesso, espero chegar aí algum dia também.

Oi, Beatriz:

É difícil meter a colher na vida dos outros, mas eu fui chamada, certo? rsrsrs

Quem não gosta de cinema, não é verdade? Mas infelizmente nem todo mundo nasceu pra ser cineasta. Não é incomum começar o curso de cinema e se dar conta de que não foi feito praquilo, embora ame filmes. Conheço muita gente que se formou em faculdades de renome dos EUA há 3, 4 anos e é o único da turma que está trabalhando, ou melhor, ralando em cinema.

Quem não adoraria escrever a história de sua própria vida e transformar em filme? Mas vá escrever 100 págs e depois reescrever as mesmas mais 50 vezes até ficar algo decente de ser apresentado... Entende o que eu estou dizendo? É bem complicado definir uma carreira sem saber exatamente o que te aguarda no dia-a-dia desglamourizado.

Posso te dizer que, se este é realmente o seu sonho, vá fundo, invista mesmo. Procure saber, se informar. Fiz dezenas de cursos curtos no Brasil, enqto trabalhava como jornalista, e todos foram excelentes para a minha formação. Vários deles foram gratuitos. Eles me deram a base necessária para ser bem sucedida aqui. Qdo eu tomei a minha decisão, eu sabia exatamente o q queria pq eu já tinha experienciado aquilo na prática.

Pq vc não trabalha nesse festival? Ou pelo menos vá lá, se enturme com os participantes e saiba mais sobre como é o dia-a-dia deles, como é a vida deles. Assim vc pode ver se vc se identifica com o estilo de vida. Analise se o seu jeito, a sua personalidade, é parecida com a deles. Talvez vc possa até se incluir em algum grupo que vá fazer um filme e ver como funciona na prática.

Mas de pronto já te digo: se vc chora com ansiedade pelo mercado de trabalho, melhor nem começar no cinema. Mesmo q vc seja bem sucedida na área, ser cineasta não é profissão com salário fixo e carteira assinada. Cineastas são pessoas empreendedoras, profissionais liberais que têm q lidar com o mercado. Eles são contratados por obra. Se não tem obra, não tem salário. Tem que saber viver com esses altos e baixos.

Eu pessoalmente acho uma bobagem muito grande quem diz que vai fazer medicina ou advocacia pq dá dinheiro. Qq profissão dá dinheiro se vc se dedicar. Vc acha que ser cabelereiro dá dinheiro? Vi uma matéria sobre um cabelereiro de celebridades que cobra R$ 400 por um corte de cabelo. E no salão dele tem q marcar com 1 mês de antecedência pq não tem vaga.

O primeiro passo pra ser bem-sucedido em uma profissão é amar o que faz. Daí vc tem forças pra se superar todos os dias. Assim estudar não é um sofrimento. Tudo é desafio bom. Não é tipo: "Ah, meu Deus, tem que estudar de novo essa chatice? Pq eles ficam mudando essas leis? Ou pra que eles têm que inventar uma nova cirurgia? Porque o mundo está contra mim? Pq? Pq?" rsrsrs

Deu pra entender a diferença? Então pesquise na prática como funciona aquilo q vc gostaria de adotar como profissão. Entreviste profissionais da área. Estude em cursos rápidos pra se inteirar. Procure um profissional de orientação vocacional e faça testes. É verdade o que dizem: cada profissão exige um tipo de habilidade e de personalidade.

Espero ter ajudado.