March 24, 2011

1. Producing my thesis film: deadline | 1. Produzindo meu curta de graduação : prazo

Whenever possible, I'll share here the steps for the production of my thesis film, which will be screened on June 11 at Warner Bros. And here's the first tip: if you want to do a short film, set a deadline for completion.

One of the most recurring lines here, among professionals, is that "movies are not completed, they are abandoned." I don't know if you are like this - like millions of other filmmakers - but I'm always trying to fix a minor detail. Every time I see my short films, I think "Wow, I have to cut this little frame here, turn the sound up there" and so on. There's a time we must let it go. And the best way to do it is set a deadline.

Establish the date that the final version must be completed.

In my case, it's easy: the school sets the calendar. And we have to work based on it.

Dentro do possível gostaria de ir compartilhando com você aqui os passos para a produção do meu curta de graduação, que será exibido no dia 11 de junho na Warner Bros. E aqui está a primeira dica: se quer fazer um curta-metragem, estabeleça uma data limite para a conclusão.

Uma das frases mais recorrentes aqui, entre profissionais, é a de que "filmes não são concluídos, são abandonados". Não sei se você tem isso, mas eu - como milhões de outros filmmakers - fico sempre querendo acertar um detalhezinho. Toda vez que assisto aos meus curtas, penso: "puxa, tenho que tirar esse pedacinho daqui, aumentar o som ali", e assim por diante. Então. Tem uma hora que a gente tem que dar o braço a torcer e largar o osso. E isso se faz com prazo.

Estabeleça a data em que a versão final tem que estar concluída.

No meu caso, é fácil: a escola estabeleceu o calendário. E a gente tem que trabalhar em cima disso.

Hollywood by a Brazilian POV 1: Stay in Brazil | Hollywood 1: Fica por aí mesmo

In the sharp article (below) published by one of the top Brazilian newspapers called O Globo, the producer Eduardo Levy, correspondent in Los Angeles, debunks all the glamor around the American film industry.

He answers questions that Brazilians ask him about life in the Mecca of cinema. He advises those who are studying cinema in the U.S. and have no parent who is president of production of some studio to come back to Brazil after graduation. There, they will be appreciated and may spread their knowledge to others.

To the Brazilian writers who dream of trying to sell their work in Hollywood, Levy warns that competition is much tougher here than in Brazil and experience as a soap opera collaborator does not make any difference in the U.S.. Nobody cares. He pointed out that the studios do not accept unsolicited materials. So, according to him, Brazilian writers had better attend Starbuck stores in Brazil.

To Brazilian actors and actresses, he warns of the 40% charged by agents to represent foreign talents around here with few tangible results, leading only to high costs of travel.

To directors and producers, he advises to remain in Brazil and make use of government funds to finance a film industry that does not care about audience or box office.

Confira artigo publicado pelo correspondente do jornal O GLOBO (RJ) em Los Angeles, Eduardo Levy, no qual ele desmistifica todo o glamour em torno da indústria cinematográfica americana.

March 06, 2011

My short film selected to LABRFF | Meu curta foi selecionado pro LABRFF

Renowned Brazilian director Fernando Meirelles (City of God, Blindness) being interviewed by Brazilian actress and TV host Babi Xavier during 2010 LABRFF's Red Carpet Night. He was head of the festival's jury last year.

Great news! My short film -- Synergy -- has been selected to the 4th Los Angeles Brazilian Film Festival, wich will take place from Apr 27th to May 1st at the Landmark Theatre. Yay! The LABRFF, founded in 2007 and directed by Meire Fernandes, is dedicated to showcasing the art and talent of Brazilian filmmakers in USA.

In February, my film was also screened at the 26th Clermont-Ferrand Short Film Market (France). Clermont-Ferrand Short Film Festival is the world's premier cinema event dedicated to short films. It's the second largest film festival in France after Cannes in terms of audience and professional attendance.

Ótima notícia! Meu curta-metragem -- Synergy -- foi selecionado pro 4º Los Angeles Brazilian Film Festival, que acontecerá de 27/04 a 01/05, no Teatro Landmark, aqui em LA. Oba! O LABRFF, fundado em 2007 e dirigido por Meire Fernandes, é dedicado a mostrar a arte e o talento dos cineastas brasileiros nos EUA.

Em fevereiro, meu filme foi exibido também no 26º Mercado de Curtas de Clermont-Ferrand, na França. O Festival de Curtas de Clermont-Ferrand é o maior evento do cinema mundial dedicado a curtas-metragens. É o segundo maior festival de cinema na França depois de Cannes, em termos de audiência e participação de profissionais.

March 05, 2011

Can I get a scholarship for screenwriting? | Dá pra conseguir uma bolsa pra estudar roteiro nos EUA?

(leia versão em português abaixo)
Hello, Gabriela!

Before posing my question I'd like to thank you because you weren't selfish. While you accomplished your dream, you were generous and created this blog, which helps a lot all of us who dream of at least doing a workshop in the US. LOL

Well, my question is about the availability of scholarships for foreign students. The course is 1-year screenwriting and the price is way too salty, almost fifty-thousand in our currency. Dare I say it's impossible for me, but the desire to make this course is stronger. You know, doing what you believe you have a gift to do!

What prevents me from taking action is not having a good financial situation, but the desire is great. My head is full of ideas. I'd love to show them to the world, or at least to one of NYFA teachers. It'd be a unique opportunity, so I'd choose to take the course in LA, although I believe New York is better! LOL

If you know how to get a scholarship, please answer me. I thank you and wish you very good luck after finishing the course. Because, then, you'll have to search for opportunities, but with a resumee like that I'm sure you'll find a lot of open doors!



Hi, Éderson:

I answered a similar question here. I believe that scholarships should be offered by the country of origin, since it is a training of skilled labor done in a way that has no equivalent in Brazil -- especially with respect to hands-on filmmaking.

But cinema is not a priority in our country, quite rightly, I might add. There are things far more pressing in our society than to learn how to fabricate dreams, is not it? But there is indeed an agreement between the Brazilian government agency Capes (Coordination for the Improvement of Higher Education) and the Fulbright Commission (Educational Exchange between the United States of America and Brazil) that provides annually THREE(!) scholarships to a Masters of Fine Arts in Screenwriting in the US.

It is necessary that the candidate has a Brazilian citizenship (not combined with U.S. citizenship), undergrad education, proven expertise in filmmaking, English proficiency, and isn't receiving or have received scholarship from the Brazilian government or the Fulbright Commission for the completion of postgraduate stricto sensu. Besides presenting a draft of the story to be developed along the course. Easy peasy. LOL

Nevertheless, Nyfa offers scholarships and financial aid through the U.S. government for Americans. Totally fair. The school has the most competitive prices in the market, considering the cost-effectiveness, and provides quick results. (Read an article about it here)

However, in a good Portuguese, I'd say: "Who has a mouth goes to Rome" (a common saying in Brazil, meaning: even if you don’t know how to get somewhere, if you ask your way around you can even find your way to Rome). One of the things I most admire in the U.S. is that they truly recognize and reward talent. Nyfa had (or has) a program sponsored by the filmmaker Brett Ratner, providing discounts of up to 40% in the one year filmmaking course for outstanding students. It was necessary to prove the financial need of the scholarship and demonstrate ones excellence as a student through an essay and have statements from renowned professionals in the student support. I do not know if this program is still in effect.

Anyway, one of the reasons for the school's success is perhaps the great responsiveness to the demands of its students. Nyfa is always investing, improving and growing. That is, if you think you have a great potential and speak a decent English (mostly in writing), translate your best scripts and contact the school. The least they will do is to listen attentively to your reasons and try to find the best common denominator. What have you got to lose?

If it doesn't work for you at all, I'll point out something I still dream of doing: the creative writing workshop of Luiz Antonio de Assis Brazil, at PUC-RS (Pontifical University of Rio Grande do Sul), on South of Brazil. Many of the best Brazilian writers of our time studied there. It's not a script workshop, but he'll teach you everything you should know to start. He's a great writer and screenwriter. It is closer to you, which live in Paraná, then NYFA, isn't it? LOL Oh, and we also have great courses in São Paulo. Check the other two links below.

Hugs and good luck,



Olá Gabriela!

Antes de fazer a minha pergunta eu gostaria de te agradecer, porque você não foi egoísta. Ao conseguir realizar o seu sonho, você foi generosa e criou esse blog, que ajuda, e muito, a todos nós que sonhamos em ir pros EUA fazer pelo menos um WorkShop. kkk

Bom, a minha pergunta é sobre a disponibilidade de bolsas para alunos estrangeiros. O curso é o de screenwriting, com duração de um ano. O preço é muito salgado: em reais, 50 mil. Ouso dizer que é impossível pra mim, mas a vontade de fazer esse curso é maior. Sabe, fazer aquilo que você gosta, aquilo que você acredita ter o dom!

O que me limita é não ter uma condição financeira tão boa, mas a vontade é grande. Minha cabeça é cheia de idéias. Eu adoraria poder mostrar isso ao mundo, ou pelo menos a um professor da NYFA. Como seria uma chance única, eu escolheria fazer o curso em LA, apesar de achar New York tudo de bom! Kkk

Se você souber como correr atrás de uma bolsa, por favor, me responda. Desde já eu agradeço e te desejo muita sorte após terminar o curso. Porque daí você terá que correr atrás de oportunidades, mas com uma escola dessas no currículo você vai encontrar muitas portas abertas!



Oi, Éderson:

Eu respondi a uma pergunta parecida aqui. Acredito que bolsas deveriam ser oferecidas pelo país de origem, já que se trata de treinamento de mão-de-obra técnica especializada feito de uma maneira que não encontra equivalente no Brasil -- especialmente quando se trata de experiência prática em produção cinematográfica.

Mas, cinema não é prioridade no nosso país, com toda razão, devo acrescentar. Há coisas bem mais prementes em nossa sociedade do que aprender a fabricar sonhos, não é verdade? Mas existe, sim, um convênio entre a Capes (Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal Nível Superior) e a Comissão Fulbright (Intercâmbio Educacional entre os Estados Unidos da América e o Brasil) que oferece anualmente TRÊS(!) bolsas de Mestrado em Produção Cinematográfica para Formação de Roteiristas nos EUA.

É preciso que o candidato tenha nacionalidade brasileira (não cumulada com nacionalidade norte-americana); curso superior; experiência comprovada na área de produção cinematográfica; proficiência em língua inglesa; e não receba nem tenha recebido bolsa de estudos do governo brasileiro ou da Comissão Fulbright para a realização de pós-graduação stricto sensu. Além de apresentar o argumento do longa-metragem que será desenvolvido ao longo do curso, claro. Moleza. rsrsrs

No mais, a Nyfa oferece bolsas e sistemas de financiamento através do governo americano para americanos. Nada mais justo, né? A escola tem ainda os preços mais competitivos do mercado, considerando custo-benefício, e proporciona resultados rápidos. (Veja uma reportagem em inglês sobre isso aqui.)

No entanto, num bom português, eu diria: "Quem tem boca vai a Roma". Uma das coisas que mais admiro nos EUA é que eles verdadeiramente reconhecem e premiam talentos. A Nyfa tinha (ou tem) um programa patrocinado pelo cineasta Brett Ratner, com descontos de até 40% no curso de 1 ano de filmmaking para alunos excepcionais. Era preciso comprovar a necessidade financeira da bolsa e demonstrar a sua excelência como estudante, através de uma redação (ensaio) e de testemunhos de profissionais renomados em seu apoio. Não sei se isso ainda está vigorando.

De qualquer forma, um dos motivos do sucesso da escola seja talvez a ótima receptividade às demandas dos alunos. A Nyfa está sempre investindo, melhorando e crescendo. Ou seja, se você acha que tem um bom potencial e domina o inglês (principalmente na parte escrita), traduza seus melhores roteiros e contacte a escola. O mínimo que eles vão fazer é ouvir atenciosamente os seus argumentos e tentar encontrar o melhor denominador comum. O que você tem a perder?

PS: Se de tudo não rolar, eu te indico algo que eu ainda sonho em fazer: a oficina literária de Luiz Antonio de Assis Brasil, na PUC-RS. Boa parte dos melhores autores brasileiros da atualidade passaram por lá. Não é oficina de roteiro, mas o Assis Brasil vai te ensinar tudo que você precisa saber. Ele é um ótimo escritor e roteirista. Fica mais perto de você, que está no Paraná, do que a Nyfa, né? rsrsrs Ah! Tem também ótimos cursos em São Paulo. Dá uma olhada nos dois links abaixo.

Abs e boa sorte,